Gravity Rush

 

Há algum tempo ganhei um Vita de presente da minha esposa. Ela pediu pra escolher entre um 3ds e o console portátil da Sony, acabei escolhendo pelo segundo visto que sou assinante plus e já havia “ganho” alguns jogos. Um desses jogos foi Gravity Rush. Uma grata surpresa em meio a uma imensidão de jogos multiplataformas [cof, cof, celulares] que saíram para o Vita.

Uma grata surpresa, por quê? Bem, esse jogo consegue ser conservador e, ao mesmo tempo, um pouco inovador em sua jogabilidade. Ele utiliza alguns recursos bacanas do Vita para que você possa avançar em sua jornada. Como utilizar o próprio console para mirar onde você quer ser jogado pela gravidade ou até mesmo a boa e velha tela de toque para deslizar ou esquivar dos ataques inimigos, no estilo Nintendo DS.

Um ponto legal desse jogo é que os gráficos seguem no estilo animé e a maioria dos diálogos acontecem em forma de história em quadrinho, com balãozinho para as falas e tudo. No entanto, o enredo é um pouco fraco e clichê, contando a história de uma mutante que tem poderes sobre a gravidade que perdeu a memória e passa a ajudar as pessoas enquanto tenta descobrir sua identidade.

Gravity Rush não é um jogo que faça o Vita valer a pena, pra falar a verdade esse jogo ainda não surgiu. Mas dentre as possibilidades do portátil da Sony, é uma das melhores pedidas, ainda que um pouco maçante depois de algum tempo controlando a gravidade.