Ultimamente tenho jogado bastante Playstation 3. O incrível é que a cada novo jogo fico mais impressionado. Não sei, é incrível que por melhor que seja o game, ele não é original. Batman é exatamente isso. Um conjunto de ótima jogabilidade, efeitos sonoros, gráficos e enfim, quase tudo o que um jogo precisa ter pra ser “fodástico”. Lhe falta originalidade.

Graficamente perfeito, essa aventura (que saiu devido ao grande sucesso do filme Dark Knight) se passa na prisão chamada Arkham Asylum. Esse é o local onde todos os super vilões de Gotham são levados quando pegos pelo B-man.

Correndo pela prisão, Batman poderá pular, planar, se pendurar, lutar e, é claro, usar seu cinto de utilidades. Aliás, o que seria de Batman sem seu cinto de utilidades? Pelo menos, com ele, Bats fica bem menos tosco usando aquela cueca por cima da calça.

De certa forma, jogar Batman Arkham Asylum é como se estivesse com um amontoado de outros jogos. Se pegar a ação de God of War, as missões de Assassins Creed, a habilidade de ficar se pendurando de Uncharted, a procura por tesouros e relíqueas de Tomb Raider e colocar tudo numa cidade sombria e com alta taxa de criminalidade, você certamente terá esse game do Batman.

Não que seja exclusividade desse título, pois esse é mal que vem assolando o mundo dos games a muito tempo. Mas fica cansativo jogar a mesma coisa sempre. Portanto, se pretende jogar algo em paralelo, que seja algum estilo diferente. Afinal, por melhor que seja, Batman Arkham Asylum é um jogo extremamente cansativo e repetitivo.