Dificil falar sobre Tomb Raider. Ainda mais quando se não é fã da série, uma vez que o único jogo que experimentei foi o remake da primeira edição, denominado Tomb Raider Anniversary.

TRU teria tudo para ser um grande jogo. Design interessante das fases, muita exploração e gráficos bons, para a época. Mas logo na primeira fase todo o sonho de grandeza se desfaz. Pois existe uma quantidade enorme de tesouros pra encontrar, alguns fáceis, outros difíceis. Além do mais, você encontrará muitos bugs, até vergonhosos. Um bom exemplo, é que, não sei por que diabos na quarta expedição, a que vai para o México, quando se entra numa caverna você precisa de saltar umas rampas. Mas essas benditas rampas correm o risco de não estarem lá, o que pode lhe obrigar a recomeçar o game da primeira fase. As músicas não são legais, o jogo é muito fácil e os comandos não são tão precisos.

Por outro lado, explorar as fases buscando os tesouros e relíquias pode ser bem divertido, ainda que o jogo de câmera seja bem ruim. Outro ponto positivo é que a personagem é bem bonita e você pode escolher a roupa que ela vai usar. Dá também pra andar de moto em determinadas fases, mergulhar, escalar, enfim.

No fim das contas, Tomb Raider Underworld tinha um grande potencial para ser a melhor das aventuras de Lara Croft, mas não foi. Esse título ainda pertence a Tomb Raider 2, do saudoso Playstation. Deus do céu, como o tempo passa…