Mais uma aventura de Kratos. Essa série devia ter acabado na segunda edição. É sério! Incrivelmente o pessoal do estúdio Santa Monica consegue vender o mesmo jogo quatro vezes pras mesmas pessoas. Pois não há diferenças entre eles, ou seja, é sempre a mesma coisa. Andar, bater e encontrar umas meninas pra comer.

Graficamente o jogo é bom, ainda mais para os padrões do psp. Mas, pode ser porque o meu psp é o fat, mas há notáveis slowdowns. Muitas vezes também ficava dificil de enxergar, principalmente quando o lugar é escuro ou acontece aqueles “zoom out”, característicos da série.

A jogabilidade, apesar de ser o mesmo “apertar quadrado” de sempre, sofreu algumas alterações, como soltar as magias com o direcional e segurar R para disparar o poder “Rage”, que fortalece os golpes de Kratos. Foram inseridos alguns novos movimentos, como saltar de uma corda pra outra e de uma fissura na qual está pendurado para outra.

O quente mesmo está no enredo, mais elaborado e interessante do que a simples vingança do espartano. Agora Kratos, conhecido como “ghost of sparta” e “slave of the Gods” descobre que seu irmão, Deimos, está vivo e parte atrás dele. É mostrada, também, a mãe de Kratos. E acho que pela primeira vez é possível andar pelas ruas de Sparta e frequentar seus prostíbulos.

No mais, tudo continua nos conformes. Monstros, ítens para coletar e quadrado para apertar. É um bom jogo de ação, mas continua dando a impressão de “mais do mesmo”.