Aí está uma franquia de peso. Anunciar o desenvolvimento de um novo Final Fantasy sempre gera muita expectativa. E, por incrível que pareça, desde a geração passada Final Fantasy vem deixando de ser “a” franquia de rpg. Isso acontece devido ao hype gerado devido ao extremo sucesso de seus antecessores, ainda mais os da época do SNES, verdadeiros clássicos.

Final Fantasy XIII tem um enredo consistente e bem interessante, com personagens legais e meninas bonitas. Oxalá eu vivesse no mundo de FF, onde só tem mulher gostosa, de fácil acesso e que usam roupas curtas. Falando dos personagens, eles lembram um pouco o esquema usado na sexta versão, onde não havia apenas um protagonista. Na décima terceira aventura da série, apesar de ter um enredo principal, cada um dos personagens tem seu próprio objetivo. Alguns são emos, outros se denominam heróis, etc.

A jogabilidade está um tanto linear, pelo menos nas primeiras horas de jogo. Mas o sistema de batalha trouxe de volta a barra de tempo, ATB e diversos outras novidades. Dessa vez você não terá mais MP, quando morrer não voltará do último save, mas sim a momentos antes da última batalha. Cada personagem tem apenas um summon e as magias são aprendidas através de um sistema parecido com o Sphere Grid de Final Fantasy X.

Apesar de ter deixado muitos fãs desapontados com as mudanças, FFXIII é um ótimo game que merece ser jogado de boa. Um jogo típico para quem gosta de um bom enredo com gráficos bonitos.