E cá estamos nós, embarcando em mais uma aventura atrás de tesouros não mapeados/cartografados. Dessa vez o enredo de Uncharted está mais maduro. Não é mais uma pura e simples caça ao tesouro com uma loira ao seu lado. Agora alguns elementos mudaram, há traição, cenas picantes e até mesmo um vilão que realmente te deixa impressionado com tamanha frieza.

Não foi só isso que mudou. A jogabilidade teve algumas alterações também. Agora Nate está um pouco menos sensível ao controle. Os comandos para mirar também foram alterados em relação ao game original. As granadas agora não são mais armas que necessitam estar equipadas, basta apertas L2. A Dragon Sniper, caso queira usar a mira de longo alcance é preciso pressionar R3.

A dificuldade caiu um pouco, o game original era potencialmente mais dificil. Existiam fases de tiroteio que se desenhavam quase que impossível de passar, chegando a dar raiva. Talvez isso seja reflexo da experiência adquirida no último game, mas dar headshots e se esconder ficou super tranquilo.

Mas o ponto forte do game, além dos gráficos magníficos, certamente é a trilha sonora. As músicas passam exatamente o sentido para qual o game foi criado: a aventura. Elas te despertam um sentimento que te faz lembrar aventuras épicas, fato heróicos e tudo mais.

Em suma, Uncharted 2 é um grande game. Obrigatório para donos de ps3, embora sempre dê aquela impressão de “mais do mesmo” aos que jogaram o primeiro da franquia.